Pelo quarto mês consecutivo, estado segue líder na geração de energia eólica!

A Bahia segue como líder nacional na geração das energias eólica (34,63%) e solar (30,06%). Este é o quarto mês consecutivo que o estado lidera a produção da energia gerada pelos ventos. O Estado também lidera a geração nacional de energia solar desde 2017. A Bahia lidera ainda a comercialização dos leilões de energia em eólica (32,46%) e solar (19,17% de todos os empreendimentos comercializados.

Os dados são da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e as informações constam nos Informes Executivos de Energia Eólica e Solar da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), divulgados nesta sexta-feira (16).

A evolução do setor solar na Bahia é perceptível desde o ano de 2017, quando começaram a operar as primeiras usinas de geração centralizada no estado. A Bahia tem 41 usinas em operação, com 1,3 Gigawatts (GW) de potência instalada, com investimento estimado de cerca de R$ 6 bilhões, com capacidade de gerar mais de 40 mil empregos em toda a cadeia produtiva. As usinas estão espalhadas em oito municípios baianos, sendo eles: Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Casa Nova, Guanambi, Itaguaçu da Bahia, Juazeiro, Oliveira dos Brejinhos e Tabocas do Brejo Velho.

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o estado conta com 193 parques em fase de construção ou com construção prestes a iniciar com potência instalada prevista de 7,5 GW. Juntos eles preveem gerar mais de 227,2 mil postos de trabalho, além de estimar investimentos privados de R$ 34 bilhões.

Energia Eólica
A Bahia voltou a liderar o cenário de geração de energia eólica em 2022 alcançando novamente o topo do ranking de geração em março deste ano, segundo dados da CCEE. O setor eólico baiano foi responsável pelo aporte estimado de R$ 25 bilhões em investimentos privados nas 241 usinas que estão operando e instaladas em 23 municípios baianos.

Os parques têm 6,2 GW de potência instalada, com capacidade de promover aproximadamente 67 mil empregos em toda cadeia produtiva. Atualmente são 194 usinas em fase de construção e com construção prestes a iniciar. Juntos os parques preveem investir R$ 32 bilhões e criar cerca de 73 mil empregos em toda a cadeira produtiva. Com informações de assessoria.

Deixe um comentário