Em prosa e verso nonoi escreve: Puisiano!

Puisiano
Por Noedson Valois
Era assim já di tardinha,
perto di noitificá.
E eu ali ispiano
o Sol disarregalá.
E quando vi qui pudia
fazê daquilo puisia,
inventei di puisiá.
Quando eu oiei os rabisco
qui o Sol tinha bordado
dexano o céu lá no morro
todo colorificado,
di tanto incantamento,
já vêi nu meu pensamento
um veço vecificado.
Oiei passarim vuano,
pulano di gaio im gaio…
Era os bichim passarinhano,
im busca du agasaio.
Coisa linda di si oiá,
e mais um veço puisiá,
sem nem tê tanto trabaio.
Si eu foce desenhadô,
mi mitia a desenhá.
E pegava lápis di cô
mode colorificá.
Si num sô de desenharia,
vô veçano puisia.
Meu negoço é vecejá.
E um bom pedaço de hora
fiquei ali matutano.
Dispois qui o Sol foi simbora,
logo foi noitificano.
E si é mió fazê puisia
quando a noite vira dia,
eu intão cabei dexano.
E ali, no Sol Puente,
das coisa qui arreparei,
im mêa duza de veço
eu intão puisiei.
Nas minha ispiaduria,
puisiano o qui eu via,
esta puisia inventei.
Em 18 de setembro de 2022.

Deixe um comentário