21 de agosto, 33 anos sem Raul Seixas. Por Octaviano Gonçalves!

R A U L S E I X A S, o Eterno
Nesta data, 21 de agosto, faz 33 anos da falecimento do cantor baiano Raul Seixas, que deixou uma lacuna na MPB. Mas, a sua morte foi apenas física, porque ele continua muito presente na memória da maioria dos brasileiros. Tanto que, neste data em todos os anos depois da sua morte, muitos fãs vão à sua sepultura no Cemitério Jardim da Saudade de Salvador, para relembrarem o ídolo eterno e fazer-lhe homenagens cantando as suas eternas canções.
Ele, que foi um irreverente, quer por suas músicas, quer por seu comportamento, foi um compositor-cantor à frente do seu tempo. Foi ele um profeta através da sua canção “No dia que a terra parou”, como se previsse lá atrás, o ocorrido no período auge da Pandemia do COVID 19, quando não eram vistas pessoas nas ruas das cidades e deu-se o fechamento de quase tudo, inclusive as escolas e as igrejas, com se referiu ele nessa composição.
Nos dias de hoje, mesmo depois da sua morte, ele ainda continua sendo atual e as suas músicas ainda são tocadas e ouvidas com frequência por seus velhos e neo-admiradores de todas as classes e idades, em todas as partes e ambientes do Brasil, como também, estão sendo regravadas por novos cantores de todos os segmentos musicais.
A foto postada, mostra ele com sua esposa à época, na sua visita à Cachoeira do Ferro Doido, em Morro do Chapéu/BA.
Salvador, 21 de agosto de 2022
Octaviano Gonçalves de Oliveira
Natural de Morro do Chapéu

Deixe um comentário