Em Prosa e Verso Nonoi Escreve: Anel de Ouro em Focinho de Porco!

“ANEL DE OURO EM FOCINHO DE PORCO”
Lasanha em panela de barro,
Vestido de madame em banguela
E gravata em desdentado…
“Anel de ouro em focinho de porco”.
Assim nos diz o ditado!
Uma taça com jurubeba,
Cinzeiro pra cigarro casca grossa
E vinho importado pra cachaceiro…
“Anel de ouro em focinho de porco”
É o ditado mais certeiro.
Ar condicionado em trator,
Filtro em vaso sanitário
E manicuri pra roceiro…
“Anel de ouro em focinho de porco”
É o ditado verdadeiro.
Colchão europeu em cama de vara,
Matuto em carro de luxo
E jumento em pasto reservado…
“Anel de ouro em focinho de porco”.
Esse é o velho ditado!
Chuveiro elétrico em banheiro de quintal,
Roupa bonita em gente feia
E sapato de luxo pra pé rachado…
“Anel de ouro em focinho de porco”.
Assim faz jus ao ditado!
Arreio de luxo em cavalo magro,
Panela inox em fogão de lenha
E garçon em botequim…
“Anel de ouro em focinho de porco”.
É o ditado que diz assim.
Capacete pra andar de jegue,
Perfume francês pra limpador de fossa
E sinto de segurança em pau de arara…
“Anel de ouro em focinho de porco”.
A isso é que se compara.
“Para um pé cansado,
Sempre há um sapato velho”.
Diz a sabedoria popular.
“Anel de ouro em focinho de porco”
É que não vai combinar.
EM 07 DE OUTUBRO DE 2021.

Deixe um comentário