Posto de Vigília 217: O Disco Voador Pousa no Centro da Cidade!

DISCO VOADOR POUSA NO CENTRO DA CIDADE – Na tarde do dia 3.Jul.21, vimos o transporte do já conhecido Disco Voador de Morro do Chapéu, do seu “esconderijo” no meu quintal, no bairro Colibri, para seu lugar definitivo, numa praça da cidade. Pesando 40 toneladas de concreto, ferro e cimento, foi levado quase por milagre, em  pesada carreta, numa proeza profissional que não lhe causou sequer um arranhão em sua estrutura artística e delicada. O fato logo chamou a atenção pelo país afora, num alto nível de visualizações via youtube, demonstrando um invulgar interesse pela UFOLOGIA, um fenômeno pelo qual me interessei desde meus doze anos, quando, em Pernambuco, tive a rara oportunidade de ver passar em vôo baixo e lento, a nave que tentei reproduzir aqui, no coração da Bahia e da Chapada Diamantina, logo que constatei estar num movimentado “sítio ufológico”, de longa data e onde eu aprofundaria o estudo desses misteriosos aparelhos, cuja história remonta à antiga Índia, onde eles aparecem com o nome VIMANA, em dois livros dos Vedas e, também está presente nos relatos do Êxodo bíblico da cultura hebraica, sob o nome MERKABÁ, em alusão a um carrinho simples puxado a cavalo e que era o objeto “mais rápido” da época. Ao verem voar no céu, esses objetos em alta velocidade e geralmente luminosos ou ocultos em “nuvens”, os hebreus o compararam às “bigas” usadas pelos arqueiros e batizaram as luzes no céu, de “merkabás”. Faço aqui essa menção dos Vimanas e Merkabás, apenas para mostrar que estamos diante de um fenômeno histórico, que me levou a ampliar a pesquisa dos OVNIs/UFOs, inclusive na sua dimensão arqueo-ufológica, que vem esclarecer muitos episódios da nossa História na época taxados de “milagres”… Isso nos leva também, à compreensão de ideias como a existência da Vida extraterrestre, contatos da humanidade com Seres de outros mundos, previsões de uma futura integração da Terra a outros sistemas de Vida na galáxia etc.. A história da Ufologia é longa e fascinante, está intimamente ligada à origem da Vida aqui na Terra e faz parte de preocupações dos governos do mundo, por se tratar de uma presença permanente e envolta em mistério quanto às razões de estarem aqui, se trazem perigo ou ajuda e por isso esse fenômeno invade terrenos os mais diversos, como ciência, religião, passado e futuro e até especulações sobre qual nosso papel nesse infinito teatro que é a Vida universal.  Não quero ver o nosso Disco Voador apenas como um objeto lúdico para enfeitar a cidade e divertir as crianças com a ideia de ETs dos filmes de Spielberg, mas olharmos pra ele como uma “seta na encruzilhada”, para alongarmos nossa visão lá para além de nós, acima do nosso prosaico dia a dia e até lá para o Espaço infinito onde viceja a Vida universal.

P.S. – Quero deixar aqui meus agradecimentos à dd. Prefeita da cidade – Sra.Juliana Araújo – ao seu pai, ex-deputado federal José Carlos Araújo e seu irmão, o Vitor Araújo, vice-prefeito, que tanto se esforçaram para realizar o transporte e restauração do Disco Voador.     (Art. Enviado para jornal e radio em 1.8.21)

         Alonso Valdi Regis

         Morro do Chapéu (BA)  31.Jul.21

         alonsovregis@gmail.com e whatsapp 74-988260524. 

Deixe um comentário