Em Prosa e Verso Nonoi Escreve: A Você. (Em Homenagem ao Agricultor)

A VOCÊ
A você que quase sempre vê o dia clarear
Pronto para iniciar mais um dia de labor
Que não tem salário fixo mas trabalha com amor
Estes versos, meu compadre, a você quero ofertar.
A você que nunca usou uma farda para trabalhar
Que até se acanha ao chegar na porta de um escritório
Que da somnbra do “pé-de-pau” sempre faz seu refeitório
Nestes versos, meu compoadre, eu quero homenagear.
A você que faz do “aió” sua bolsa de viagem
Para quem a estiagem deixa de ser tempo bom
E nem entende a linguagem do “issoassim.com
É pra você, meu compadre, que ofereço esta homenagem.
A você que não vê “feiura” nos calos da sua mão
E que vive a vida então sem luxo e sem vaidade
E carrega no semblante a marca da simplicidade
E entende que a beleza não se restringe a salão.
É a você que sempre usa o chapéu como proteção
E sequer sabe o que é o ar condicionado
E que vê literalmente o seu suor derramado
Ofereço esta homenagem com muita satisfação.
A você que nunca soube ligar um computador
Não acessa a internet e nem usa celular
Você que “nasceu os dentes” na lida…no labutar
Esta homenagem é pra você meu compadre agricultor!
A você que ainda mantém certos costumes antigos
Como saudar seus amigos com reverência e respeito
A você que não tem cerimônia de manter-se desse jeito
Ofereço estes meus versos, meu compadre…meu amigo!
A você que não aprendeu a escrita e a leitura
E a sua assinatura é a “cabeça do dedão”
Mas que também é doutor na arte de cultivar o chão
Meu compadre, esta homenagem, é pra você, criatura!
Receba a minha homenagem meu amigo agricultor
Sua labuta produz o pão para nossa mesa
Você é imprescindível, tenha sempre esta certeza
Do pão que alimenta o mundo você é o produtor.
Amigo eu o considero um homem rico e prendado
Tem valor considerado e é digno de honraria
Com carinho eu lhe ofereço esta minha poesia
Meu compadre você é o meu homenageado.
Em 28 de julho, Dia do Agricultor.

Deixe um comentário