Queiroga teme 3ª onda; Bolsonaro quer reabrir cidades.Tudo se repete!

Marcelo Queiroga é o quarto ministro a passar pela pasta da Saúde. Jair Bolsonaro boicotou o trabalho de todos os outros nomes que pilotaram a pasta.

Mandetta falava em distanciamento, ficar em casa. Bolsonaro aglomerava. Mandetta dizia uma coisa. Bolsonaro, outra.

Teich resistiu a usar cloroquina, ensaiou discurso contra aglomerações, mas pediu demissão logo ao perceber que o Planalto usaria um certo Eduardo Pazuello, então seu assessor, para impor as vontades presidenciais.

A gestão Pazuello até tentou comprar a vacina “do Doria”, mas foi cortado por “quem manda”. Acolheu todas as ideias de Bolsonaro, que atrasou todos os calendários da pasta. Só antecipou, claro, as largas produção de cloroquina, o famoso tratamento precoce.

Agora, o ministro da Saúde, um médico que defende uso de máscara, é contra cloroquina e atua pela vacina, avisa que o país caminha para uma terceira onda. O que faz o presidente? Vai ao STF pedir poderes para reabrir as cidades e impedir a políticas de isolamento social. Ignorando tudo que o seu ministro diz.

O país, o ministério da Saúde, as políticas de governo continuam na mesma lógica de desordem vista na gestão Mandetta. O ministro da Saúde vai numa direção. Bolsonaro em outra.

A CPI da Pandemia não precisa olhar muito para o passado. O presente é espelho.

 

Leia mais em: https://veja.abril.com.br/blog/radar/queiroga-teme-3a-onda-bolsonaro-quer-reabrir-cidades-tudo-se-repete/

 

Deixe uma resposta