Covid: Ministério da Saúde reduz em 31% número de vacinas previstas para maio!

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, apresentou neste sábado (24.abr.2021), o cronograma de vacinas que prevê mais de 86 milhões de imunizantes da AstraZeneca, Butantan e Pfizer entre maio e junho de 2021. Aponta redução de 31% no número de doses previstas para o mês de maio.

Ministro apresentou cronograma de vacinas até junho de 2021© Divulgação/Ministério da Saúde Ministro apresentou cronograma de vacinas até junho de 2021

Em março, o ministério avia projetado 46,9 milhões de doses para maio, agora são 32 milhões.

Eis o cronograma apresentado pelo ministro da Saúde:

Cronograma de vacinas apresentado pelo ministério da Saúde© Divulgação/Ministério da Saúde Cronograma de vacinas apresentado pelo ministério da Saúde

Não foram incluídas no cronograma as vacinas da Covaxin e Sputinik-V, pois, segundo a equipe do ministério, ainda não receberam licenciamento da Anvisa.

Assista à íntegra da entrevista concedida por Queiroga (22min15s):

Reprodutor de vídeo de: YouTube (Política de PrivacidadeTermos)

Queda de casos

A equipe do ministério também apresentou um gráfico que mostra a queda de número de internações por síndrome respiratória aguda graves (SRAG). Segundo a pasta, houve uma redução de, pelo menos, 6.000 casos de internações desse tipo.

Eis o gráfico apresentado:

Ministério atribuiu queda às medidas de uso de máscara e distanciamento© Divulgação/Ministério da Saúde Ministério atribuiu queda às medidas de uso de máscara e distanciamento

Segundo o ministro, essa redução “retira a pressão do sistema de saúde” disse. Queiroga também comentou que o ministério distribuiu 3,3 milhões de kits de intubação em abril.

Fala de Bolsonaro

Queiroga foi questionado sobre a fala do presidente Bolsonaro, nesta 6ª (23.abr.2021), em Manaus (AM), na qual disse que possui plano para usar forças armadas em caso de “caos no Brasil” por conta de lockdown. Ele disse que se a população aplicar medidas como uso de máscaras e distanciamento, as medidas mais severas de isolamento não serão necessárias. Queiroga disse, também, que o lockdown é “fruto do fracasso de medidas não farmacológicas” afirmou.

Recursos

O ministro da Saúde disse que não faltará recursos para o combate à pandemia no Brasil. Ele justificou dizendo que há bom diálogo entre as pastas da Saúde e Economia.

“Sempre temos um bom diálogo com Guedes que me assegurou que não faltaria recurso para Saúde”, disse Queiroga.

Deixe um comentário