A trajetória da oposição em Morro do Chapéu nos últimos 53 anos. Por Lauro Adolfo!

A trajetória da oposição em Morro do Chapéu nos últimos 53 anos

Falar em oposição em Morro do Chapéu é falar nos Dourados cujo ancestral Teotônio Marques Dourado Filho, desafiou às forças políticas dominantes locais nos  idos de 1920 do século passado. Acabou vencendo a batalha em 1925 provocando o desmembramento de Irecê para criar um novo município apaziguando os ânimos exaltados do Coronel Benta e seus correligionários. Aos Dourados o que eram dos Dourados e a Benta o que era de Benta.

Encerrado o confronto, Morro do Chapéu viveu dias de paz política, com um ligeiro incomodo em 1931 quando Edigar Viana Bandeira assumiu a prefeitura sem o aval de Benta. Depois, na ditadura Vargas, foram dez anos de calmaria até que, vindos do distrito de Lagoa do Boi, surgiram os Dourado Lima com o intuito de estabelecer uma nova hegemonia política no município. Ainda tateando politicamente, deram seu apoio a Odilon Gomes da Rocha a prefeito (1967-1970), derrotando o candidato de Jubilino que vinha comandando politicamente Morro do Chapéu há mais de vinte anos. Depois romperam com os Gomes e deram apoio a Lourival Cunegundes , o Lourito, filho de Jubilino, novamente saindo-se vencedores (1971-1972). Com apoio de Jubilino, Wilson Dourado lança-se candidato a prefeito sendo derrotado por Odilésio Gomes da Rocha (1973-1976). Novamente candidato no próximo pleito, Wilson suplanta Virgílio Ferraz, candidato dos Gomes (1977-1982). Wilson lança Francisco Rocha de Duas Barras sendo derrotado numa eleição muito contestada em que o juiz eleitoral Ubaldino impugnou três urnas dando a vitória a Wilson Mendes, cunhado dos irmãos Gomes (1983-1888). Mendes consegue fazer seu sucessor elegendo Virgílio Ferraz para o período de 1989-1992. Novamente Wilson Dourado lança-se a candidato derrotando Virgílio governando no período de 1993-1996. Wilson decide lançar seu Secretário de Obras Aliomar Rocha a prefeito sem o apoio dos irmãos conseguindo elege-lo (1997-2000). Rompido com os Dourados, Aliomar é derrotado por Dr. Edigar Dourado que se elege a prefeito no período de 2001-2004. Aliomar retorna à prefeitura derrotando Francisco de Mattos vez que Dr. Edigar sequer teve condições de se lançar à reeleição (2005-2008). Aliomar cria um grupo denominado Grupão para enfrentar os Dourados conseguindo uma hegemonia política que durou até 2016 quando elegeu e reelegeu Cleová Barreto a prefeito (2009-2012) (2013-2016). Depois de uma tentativa frustrante de Wilsonj Dourado de retornar à prefeitura ele falece pouco tempo depois ficando com Dr. Edigar o comando político do seu grupo familiar. E assim ele consegue eleger seu sobrinho Leo Dourado a prefeito para o período de 2017-2020. Tão desastrosa foi essa administração que dificilmente os Dourados vão se reerguer dos escombro, encerrando 53 anos de força política oposicionista em Morro do Chapéu.

Pelo levantamento feito, salta a vista que os dois grandes comandantes de seus grupos políticos são Dr. Edigar e Aliomar Rocha. Dr. Edigar dificilmente vai ter forças para unir a oposição daqui a quatro anos. Leo Dourado é uma página virada na história política de Morro do Chapéu. E Aliomar deu seu apoio a Juliana Araújo consolidando seu prestígio político. De modo que, sem os Dourados para comandar a oposição como vinham fazendo os últimos 53 anos, e sem um articulador político que saiba agregar apoios, Julina Araúo tem uma bela carreira política pela frente. Desde que corresponda as expectativas depositadas nela. Mesmo sem oposição forte e articulada, o volátil eleitor morrense pode lhe reservar uma surpresa desagradável no futuro. As expectativas são grandes.

1 comentário em “A trajetória da oposição em Morro do Chapéu nos últimos 53 anos. Por Lauro Adolfo!”

Deixe um comentário para Lauro Adolfo da Silva Dourado Cancelar resposta