Posto de Vigília 193: Hermenêutica ou Exegese?

HERMENÊUTICA  OU  EXEGESE? – Estudo bíblico  (2) – O que é Hermenêutica? Segundo o dicionário HOUAISS, esta palavra significa “Estudo e Interpretação dos textos religiosos”. Exegese, segundo o mesmo dicionário, é a “interpretação minuciosa de um texto ou palavra de uma obra literária”. Esse estudo, em se tratando de História, tem tudo a ver com as palavras de Jesus, quando disse: “A letra mata, o espírito é que vivifica”. Aqui o verbo “vivificar” significa “dar vida, tornar real e verdadeiro”. E no campo filosófico, abstrato e religioso, esse estudo e essa interpretação é de vital importância, para nos libertar de visões etéreas, irreais e prisioneiras de um passado obscuro e incompreensível para os nossos dias. Tudo no universo evolui (“ir para a frente”), atualizando-se, trazendo-se algo que está preso no Passado e inserindo-o nos dias de hoje, contextualizando-o à nossa realidade. E esse assunto é sumamente oportuno sempre que estamos às vésperas de uma REVELAÇÃO (em grego = Apocalipse), pois as revelações são justamente para ATUALIZAR as realidades trazendo-nos verdades que jaziam ocultas pela ignorância natural dos tempos. Tais estudos trazem mais uma grande novidade, que foi predita por sábios e intuitivos como Pietro Ubaldi (filósofo cristão italiano e que viveu no Brasil, emérito autor de obras como “A Grande Síntese”, que chamou a atenção de Albert Einstein, pela profundidade de suas equações), pois bem, Ubaldi disse: “Haverá no futuro uma Ciência religiosa e uma Religião científica”… E boa porcentagem dessa afirmação ubaldiana, já é realidade hoje. A Bíblia judaica-cristã é, por excelência, um livro idôneo para essas interpretações, visto que expressa verdades veladas pela incapacidade de naqueles tempos de outrora, se manifestar fatos e fenômenos que hoje são ensinados pelas escolas científicas e filosóficas de todo o mundo. Daí a necessidade de se transformar a letra (que mata), no espírito (que vivifica), ou seja, se libertar o espírito real que está preso no sentido literal das palavras. Este também é o sentido da Parábola, que era a linguagem usada por Jesus, em suas pregações. Eis agora alguns temas em que tentaremos fazer essa operação de “extrair o espírito da letra”: A costela de Adão – O contato de Ezequiel – O que era a “Merkabah” entre os hebreus – A baleia que engoliu Jonas – Os filhos de Deus que se acasalaram com as mulheres da Terra – Quem eram os gigantes que lutaram com Moisés e David – Quem exterminou esses Gigantes – O que era a “Teofania das Nuvens”, entre os hebreus – O que era o “maná” que alimentou os hebreus no Êxodo – Por que o Êxodo durou 40 anos no deserto – O que eram os “falsos deuses da Babilônia”? E quem imagina que a palavra ANUNNAKI está escrita na Bíblia, em Números 13-33 ? Quantas vezes a palavra “Trono” aparece no livro do Apocalipse?

          Alonso Valdi Regis

          Morro do Chapéu (BA) 26.Maio.2020

          alonsovregis@gmail.com

Deixe uma resposta