Posto de Vigília 184: O vaticano e os Extraterrestres!

O VATICANO  E  OS  EXTRATERRESTRES  –  Um assunto extremamente delicado que de vez em quando vem à baila, por força do interesse público em saber o que pensa essa Instituição religiosa que comanda dois bilhões de Seres humanos atualmente na Terra. Aliás, a vida extraterrestre nem era pra ser esse tabu imenso que  assusta alguns, encanta a outros e deixa a muitos naquela “dúvida atroz”: são bons ou maus? E já de começo fica claro e ostensivo que nenhuma instituição que opera na fronteira do Desconhecido devia dogmatizar e/ou padronizar os conhecimentos, pois a própria dinâmica dos tempos mostra que tudo evolui, tudo se transforma, tudo avança conforme avançam a nossa consciência e nossos conhecimentos. As Religiões estão na dianteira dos modelos de fé e crença que mudam de acordo com os novos horizontes que despontam no Aqui e no Além, nos bancos escolares ou cátedras universitárias e sobretudo nas fronteiras da Consciência e das novidades paranormais que elevam os Seres humanos aos cumes do Saber. Tudo muda no universo, nada é estático. Uma verdade do ontem, se torna infantilidade no hoje. O que era milagres e maravilhas no outrora, hoje são leis nascidas em laboratórios de pesquisa, sem qualquer ligação com fenomenologias filosóficas ou religiosas. Sabemos que religião, ciência e filosofia andam par a par com a evolução dos tempos, sem dogmas ou “cláusulas pétreas” que as imobilizem no tempo. Apesar da abrangência do tema, esse assunto aqui focaliza a questão dos Extraterrestres face aos dogmas da visão cristã. Recentes declarações de autoridades do Vaticano, mostram que há, dentro da Igreja católica, duas alas bem distintas – uma pública, popular e que aceita  as antigas teses da Criação divina, o Criacionismo edênico de Adão e Eva, que faz dos homens e mulheres a exclusividade biológica e inteligente do universo. Se for verdade que há outros Seres não terrestres, não são “filhos de Deus”, serão obra do Lúcifer e renegadores do Cristo. Mas, apesar de tudo, se crê nos Anjos e Arcanjos, num Messias que vem de outros mundos e santos que habitam num céu hipotético. Imaginemos, portanto, na dificuldade dos precursores de uma Revelação grandiosa que está para acontecer, em desconstruir essas bases medievais, amarradas em dogmas e princípios teológicos, para em seu lugar, se construir uma nova visão, já enunciada, das “muitas moradas do Pai”, dos Mensageiros do Espaço, das Federações cósmicas e infinitas humanidades que permeiam as estrelas, todos irmanados pela mesma Criação, pelo mesmo Deus infinito e universal, apenas separados pelas distâncias, enquanto não conquistamos a onipresença, a onisciência e a onipotência que trazemos dentro de nós como centelhas de Vida e da Consciência universal da qual somos criados. Num recente trabalho “vazado” de uma fonte dessa vanguarda teológica, ficamos realmente abismados pelos novos conceitos que abordam a nossa origem aqui na Terra, dos antigos profetas e patriarcas que viveram até mil anos, da vinda de Jesus, da mudança dos papas (do penúltimo e do atual), da virgindade de mulheres que conceberam “por obra do Espírito Santo” e – pasme-se – de um próximo  e apocalíptico contato entre a humanidade e representantes de Povos vizinhos do Espaço, tudo isso discutido entre grupos fechados da Igreja, apoiados por avançados estudos e tecnologias futuristas, mas ocultados dos adeptos da Fé antiga que não foi devidamente preparada para o avanço dos Tempos. Ainda haverá tempo para se divulgar essa grande Metanóia (mudança de consciência)? Nunca foi tão grave e urgente a recomendação do Mestre: “Ter olhos de ver e ouvidos de ouvir…”

        Alonso Valdi Regis

        Morro do Chapéu (BA) 10.12.2019

Deixe uma resposta