Para uma boa leitura Dr. Marcio Leite escreve: Carta ao meu algoz: Chega de Chibatadas!

Carta ao meu algoz:

Chega de chibatadas!
Até que atinjas tua própria pele, ainda me farás sangrar muito. És redundante com as palavras, teu orgulho não será tocado antes que o meu esteja devastado. Minha vaidade está à míngua enquanto a tua ainda incha. Já não sinto sede ou fome, e tu pareces insaciável. Minha vergonha adolesce enquanto a tua sequer nasceu. Minhas preocupações, anseios, tormentos e culpas, por que os retiras de mim? Por que transferes para ti meus pecados, minhas dores, meus remorsos? Que bem te fiz, irmão, para que me faças crescer em teu lugar? Não percebes que te fizeste trampolim para meus saltos? Escoadouro para meus vícios e lenço para o meu pranto? Da tua pele drena suor, da minha já poreja luz. Teu ofício é chegado ao final. Não percas mais teu tempo, afasta-te! Deixo-te ir em paz. Se te apressares, talvez ainda nos encontremos n’algum lugar.

Marcio Leite

Deixe uma resposta