Hoje tem Desfile Cívico em M. do Chapéu!

Ao chegar próximo ao 7 de setembro, lembro com saudades de quando, com os meus contemporâneos da minha querida Morro do Chapéu, tive a alegria de ter vivido a efervescente década de 60.

Na época da minha juventude e estudante do Colégio Nossa Senhora da Graça, ao aproximar-se o mês de setembro, era tempo de festa para os estudantes, começando pelos ensaios da marcha dos pelotões e da fanfarra, da qual eu participei tocando pratos, bem como, da preparação das alegorias para o empolgante desfile do Dia da Pátria.

Os primeiros desfiles realizados pelo CNSG eram bem simples com poucos instrumentos de repercussão e apenas uma corneta, que tinha à frente alguns alunos em bicicletas enfeitadas, depois seguiam os pelotões de alunos caprichosamente vestidos a marchar garbosamente pelas principais ruas da cidade sendo aplaudidos pela população.

No anos seguintes a banda marcial já contava com instrumentos de sopro e o desfile já tinha pelotões de bandeiras do Brasil e dos Estados e, mais adiante com uma fanfarra com mais participantes, até chegar aos grandes desfiles que atraiam famílias de municípios vizinhos cujos filhos estudavam na nossa “casa de afeto e carinho”. (Vide fotos)

Essas lembranças me fazem recordar com saudades de uma época, a década de 60, quando a nossa cidade era pacífica, de vida social intensa com os bailes na Minerva e a realização das festas religiosas assistidas com empolgação por famílias da cidade, do interior do município e de outras cidades, em cujos dias, Morro do Chapéu se tornava num cenário de festas e confraternização, de farras sadias dos jovens que viviam inversamente a efervescência a Jovem Guarda.

Felizes são aqueles que viveram bons momentos na sua juventude e com o passar da idade têm na memória fatos memoráveis para relembrar.

As fotos mostram os primeiros desfiles do CNSG na década de 60.

Por Octaviano Gonçalves

1 comentário em “Hoje tem Desfile Cívico em M. do Chapéu!”

  1. Amigo Octaviano. Nós, do Sertão, que tivemos a sorte de estudar “nesta Casa de Afeto e Carinho “, também recordamos com saudade está época.

Deixe uma resposta