Saúde de deputados baianos custou R$ 400 mil à Câmara neste ano; Cajado usou R$ 218 mil!

A saúde de deputados federais baianos com e sem mandato custou aos cofres públicos R$ 400 mil somente nos primeiros oito meses de 2019. O maior desembolso do Estado foi com o deputado Cláudio Cajado (PP) que, sozinho, pediu um ressarcimento médico-hospitalar de R$ 218 mil neste ano.
Procurado pelo site Bahia Notícias, Cajado preferiu não comentar o motivo da solicitação. O deputado pediu uma licença da Câmara para tratamento de saúde de 22 de maio a 4 de junho. O valor corresponde a um tratamento de complexidade elevada no sistema privado de saúde. Cajado gravou um vídeo para suas redes sociais quando recebeu alta após um período de 9 dias internado em maio.
Os parlamentares não possuem plano de saúde, mas têm o direito de solicitar da Câmara dos Deputados reembolso com gastos médico-hospitalares mesmo após o fim do mandato. Além de Cajado, os maiores gastos com os reembolsos médico-hospitalares foram com ex-deputados. Secretário do governo de João Dória (PSDB) em São Paulo, o ex-deputado baiano Antônio Imbassahy (PSDB) aproveitou os benefícios do mandato que encerrou em 2018 e solicitou um reembolso da Câmara de R$ 37 mil neste ano.
A lista de ex-deputados beneficiados em 2019 ainda inclui José Carlos Aleluia (R$ 69 mil), Benito Gama (R$ 27 mil) e José Carlos Araújo (R$ 5 mil). O salário mensal de um deputado federal é de R$ 33,7 mil. Para o exercício do mandato, os parlamentares baianos ainda têm a sua disposição, mensalmente, uma Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap) no valor de R$ 39 mil. (BahiaNoticias)

Deixe um comentário