Capítulo II. Morro do Chapéu 110 anos. Uma fase de decadência econômica!Por Octaviano Gonçalves

Ao entrar a década de 20, a cidade teve um período de estagnação econômica, sem contudo, afetar a sua força cultural. E essa retração se deu por fatos ocorridos no período do início dos anos 20 até o meado da década de 50, merecendo destaque alguns fatos que contribuíram sobremaneira para esse declínio, dentre outros,os seguintes:

⁃ A morte repentina de Dias Coelho que criou uma instabilidade política no município, dando-se uma acirrada disputa entre dois grupos, o do Coronel Souza Benta e de Teotônio Marques Dourado Filho, cuja solução foi a decisão do Governador de emancipar Irecê em 1933.
⁃ O fim do ciclo da extração de pedras preciosas que levou ao fechamento e à transferência de lojas de empresas envolvidas com a comercialização de minérios.
⁃ A perda de área mais produtiva para Irecê e consequentemente a baixa das receitas.
⁃ O enfraquecimento da sua força política do município junto às esferas superiores de poder com a criação do município de Irecê.
⁃ O flagelo da seca de 1932 que dizimou parte do rebanho e destruiu a lavoura, causando muita fome e levando algumas famílias migrarem para outras regiões e outras, ainda mais pobres, chegarem à cidade com água em abundância, mas, sem trabalho e alimento.

Apesar dessas dificuldades, a cidade fez a travessia para chegar ao que é na atualidade

Deixe uma resposta