Posto de Vigília 177. A Mãe Natureza Alimente e Cura (2). Por Alonso Valdi Regis!

A MÃE-NATUREZA ALIMENTA E CURA (2) – No último artigo vimos como as plantas subsidiam  a Alimentação da humanidade e hoje vamos ver como elas também fornecem a CURA dos nossos corpos. Esse processo já vem da antiguidade grega, quando se chamou Fitoterapia (phito = do grego “vegetal”). Vejamos como isso funciona. O nosso Sol emite inconcebível número de radiações cada qual com suas frequências determinadas. Um simples raio de luz se divide em inúmeras frequências, das quais nós vemos sete, na ordem crescente do vermelho ao violeta. Acontece que cada planta da natureza, conforme seu código genético é vivificada (com energia vital) por uma dessas frequências solares, a qual é retida por um “filtro magnético” que escoa as demais frequências para o solo (terra). Então, temos que cada planta é alimentada pela energia vital emanada pelo sol. Essa é a causa primária da Cura. Vejamos, agora, a causa secundária. Nosso corpo, inclusive dos animais, tem também, múltiplos órgãos cada um, sempre de acordo com o seu padrão genético (DNA), o mesmo esquema de nutrição energética que as plantas, pois a “energia da Vida é comum para todos os Seres vivos. O segredo da cura é tão somente se usar uma planta cuja frequência seja a mesma do determinado órgão que precise de um reforço energético para seu bom funcionamento. Para que não se tenha dúvida desses princípios, sabemos que o nosso coração trabalha com uma frequência X, que pode ser produzida por uma pilha chamada marca-passo. Cada órgão do nosso corpo tem sua frequência própria e também haverá plantas (vegetal) de frequência semelhante. (Esse mesmo sistema gera as cores variadas das flores).       Lembrar aqui o milagre da planta quando produz um fruto,  uma batata, um gigantesco pé de eucalipto, tudo saído de uma raminha de batata, uma maniva de aipim, de uma sementinha de eucalipto minúscula como um grão de areia, tudo tirado da terra. São maravilhas sobre maravilhas e se diz que a Natureza é a manifestação visível da própria Divindade. Quem não acredita em Deus, vai acreditar em que?)

                   Alonso Valdi Regis

                  Morro do Chapéu BA  15.Maio.2019

                 alonsovregis@gmail.com       

Deixe uma resposta