Posto de Vigília 174: Conhece-te a Ti Mesmo. Artigo Final!

CONHECE-TE  A  TI  MESMO (final) – Quem não conhece a admirável metamorfose da borboleta? A nojenta lagarta, chegada sua idade adulta, tece um casulo, dorme ali alguns dias e o casulo é rompido saindo de dentro uma bela e irisada borboleta, que voa leve no espaço à procura de luz e liberdade. Após o ciclo de vida alada, ela põe seus minúsculos óvulos numa folha de mato e daí nascem, novamente, as feias e comilonas lagartas… Que lição nos quis dar o Criador da Natureza? O sábio filósofo H.Rohden se serve desse fenômeno para comparar o que também acontece ao Ser humano. Após nossa sofrida estada na Terra, devolvemos nosso corpo ao chão e nossa Alma se liberta para um mundo etéreo, onde desperta e passa a exercer atividades múltiplas, para novamente, através da concepção, voltar ao mundo para nova experiência de vida. O símile é perfeito para afirmar essa “tese” incrível, já confirmada por pesquisas avalizadas por técnicas de regressão e outras vias, como bem sabem os que pesquisam essas leis. Outro fato que pega a muitos de surpresa, mas confirmado facilmente pelos que operam nessa atividade, é que após a morte (do corpo físico),  o espírito é recolhido a ambientes  de repouso, os quais existem sempre próximo ao local onde vivemos e aí permanecem por certo tempo, até chegada a hora do retorno. Conversando com pessoas que operam nessa área, vemos a riqueza de detalhes desse processo a ponto de não ficar qualquer dúvida. Resta dizer, aqui, que esse processo não é perene, mas apenas vigora enquanto não atingimos um grau de elevação que nos permita galgar os céus, buscando as “outras moradas”, ditas edênicas, angelicais, sem trevas e sem dores – objetivo final da Criação divina. Esse fato aqui descrito é um mero “acidente de viagem” na longa estrada em que vamos nos conhecendo a nós mesmos, respondendo nossas dúvidas e nos ajudando a lapidar nosso Espírito para a unificação final, como nos prometeu Jesus.

       Alonso Valdi Regis

       Morro do Chapéu (BA)  31.Mar.2019

       alonsovregis@gmail.com

Deixe uma resposta