Posto de Vigília 171: Conhece-te a ti mesmo. Por Alonso Valdi Regis!

CONHECE-TE A TI MESMO  (Gnote sé autón, em grego) – Essa frase é antiga – estava escrita na fachada do Templo de Delfos, na Grécia clássica e foi repetida em todos os tempos, filosofias e religiões. Mas quem nos deu a melhor explicação sobre essa frase foi Albert Einstein,  o físico que devassou a matéria, chegando à intimidade do átomo e dele extraindo a poderosa energia atômica. Reza a sua biografia que certo dia ele concebeu a idéia de espalhar sobre uma mesa todos os átomos do corpo de uma pessoa. Pilhas  de átomos de carbono, de cálcio, de oxigênio, hidrogênio etc. etc., que são alguns dos átomos da tabela periódica dos não mais que 92 elementos que formam tudo o que existe na natureza. Ele olhou aquelas pequenas pilhas de átomos e chamou seus dois amigos de pesquisas – Fermi e Oppenheimer – e lhes comentou: “Temos aqui todos os átomos que formam o corpo de uma pessoa. De onde será que surgem aqui os nobres sentimentos do amor, da verdade, das belas artes, da justiça, da verdade?” E logo acrescentou: “Do mundo dos fatos não vêm valores. Estes vêm de outra região”. Como cientista alemão, formado em escolas materialistas, ele não podia falar em Deus, Alma, Espiritualidade. Mas enfocou esses valores sob o manto do que chamou “outra região”. Mas a coisa não ficou só por aí. Depois disso, foi até a Universidade de Princeton, em Nova Jérsey (EUA) e pediu ao seu diretor um “espaço” para ensinar um novo ramo da ciência a que chamou “Departamento de Metafísica”, onde divulgaria ao mundo o que quis dizer com “outra região”. E ali fez escola, hoje seguida por cientistas do mundo inteiro, considerada a ponte que liga o mundo material com o mundo espiritual. Hoje esse departamento é chamado de “A Gnose de Princeton”, ligando os nossos dias com o antigo Templo de Delfos, onde se ensinava a “Gnosis”, que em grego significa “Sabedoria”.  Quem leu o livro de Einstein “Como vejo o mundo”, sabe que há, sim, uma ciência religiosa e uma religião científica”. Esse título “Conhece-te a ti mesmo” demanda muitas outras explicações e no próximo artigo falaremos mais sobre “a outra região” a que se referiu o grande sábio.

               Alonso Valdi Regis

               Morro do Chapéu (BA)   18.Fev.2019

               alonsovregis@gmail.com

Deixe um comentário