Para uma boa leitura Dr. Marcio Leite escreve: Magarefagem!

Magarefagem

Meti a faca sem piedade. Cortei de um lado e outro, destrinchei. A reduzida parte, ainda viva, pulsava diante de mim. Olhei-a de soslaio, sem esconder a tristeza. Não podia me prender a sentimentalismos, era seguir adiante, cortando, serrando, fazendo sangrar. Nenhuma ideia me vinha à cabeça, nenhuma imagem. Havia apenas um objetivo: reduzir à essência, a uma célula reconhecível. Para isso, tinha que abandonar vaidades, apego. O cancro precisava sair. Foi cirúrgico, sim, e sem anestesia, mas, no final, duas límpidas folhas de papel recheadas de palavras cuja alma eu bem conhecia.

Marcio Leite

Deixe uma resposta