Posto de Vigília 168: Coisas do Brasil. Por Alonso Valdi Regis!

COISAS  DO  BRASIL  –  Há já muitos anos começaram a chegar do plano hiperfísico, informações de que o nosso Brasil estava predestinado a ser o coração do mundo e centro espiritual da humanidade. As causas dessa escolha seriam várias: primeiro a natureza heterogênea do seu povo, vindo de diversas partes do mundo, formando aqui um “caldo de cultura”, sem os graves casos de egos, de racismos ou tradições arraigadas, difíceis de serem transformadas. O próprio “astral” do território ainda limpo de egrégoras pesadas de antigas violências e guerras fratricidas. E acima disso, as riquezas imensas em terras, águas, florestas, minérios, rios e costas marítimas, além de proteção natural contra sismos, furacões, temperaturas rigorosas e climas extremados, facilitando a receber imigrantes de qualquer ponto do planeta. Tais são os ingredientes ideais para a formação de um povo apto a gerar, aqui, uma civilização unida e generosa, liderada por um governo humano, atento aos reclamos do seu povo e consciente da missão sagrada de elevar a nação não somente ao progresso econômico e social, mas também a planos internos de conquista espiritual. Esses prognósticos alvissareiros sempre foram “indexados” cronologicamente ao entrarmos no Terceiro Milênio, data significativa por se atrelar à transição planetária do ciclo de Peixes para o do Aquário, passagens essas marcadas por grandes e graves acontecimentos como bem sabem os cultores dessa antiga paraciência. Então, estamos em pleno trânsito de uma Era que se finda para outra que se inicia… O símbolo do aquário é de um jovem que derrama água de um cântaro sobre o mundo – a água da ciência e da sabedoria. A se crer nesses dados, lembramos que a Entidade RAMATIS, autor de famoso livro que aborda essa questão, diz ele que o Brasil inicia essa virada  das trevas para a luz, com um jovem político que, apoiado por correntes religiosas, assume o governo, dando início à nova Era. Em uma obra recente, essa informação é ampliada, especificando que esse novo presidente ainda não será o gestor central da mudança, mas vem “amaciar” o terreno para o seu sucessor, o qual – esse, sim – elevará o Brasil ao seu patamar predestinado. Unamos, pois, nossas mentes – numa muda prece ao Criador – para que as águas desse cântaro aquariano, venham logo irrigar esse nosso estéril e sofrido planeta.

                              Alonso Valdi Regis

                              Morro do Chapéu (BA), 31.Out.2018

                              alonsovregis@gmail.com

Deixe uma resposta