Posto de Vigília 162: O grande mistério da Data Bíblica “Três Anos e Meio” parte 2

O  GRANDE  MISTÉRIO  DA  DATA  BÍBLICA  “TRÊS ANOS E MEIO” (2ª parte)  –  Continuando o artigo anterior, mostramos aqui os dois significados dessa famosa e misteriosa profecia, só revelada recentemente quando nossa Astronomia já poderia demonstrar a exequibilidade dessa previsão dentro da engenharia celeste, onde se desenrolam os fatos. Temos, pois, explicados, os dois enigmas da mais famosa e repetida profecia do “cronograma” apocalíptico que ora esperamos. Trata-se do significado da expressão “Abominação da Desolação”, indicada por DANIEL (5 séculos a.C.) e reiterada por Jesus e alguns discípulos nos Evangelhos e no Livro da Revelação (Apocalipse), o que demonstra o “peso” desses fatos até agora indecifráveis. A explicação veio por canais hiperfísicos, hoje abertos no mundo inteiro, conforme foi dito em Atos cap.2 vs 17 e 18, que “nos últimos dias o Espírito  de Deus será derramado sobre toda a carne… filhos e filhas, mancebos e velhos, servos e servas”, os quais terão visões e profetizarão. O fato, pois, se resume na chegada no nosso Sistema solar, de um Astro estranho, tido como a “estrela Absinto” (Apo 8-11), que cai do céu como uma tocha e cai sobre a terça parte dos rios e sobre as fontes das águas. Esse astro de mil nomes (Hercólubus, Nibiru, Dóton, Ti-sha, Astro-X etc.), não cairá sobre a Terra, mas seu campo de gravidade afeta intensamente as águas dos rios e mares, provocando maremotos. Daniel descreveu o assombro das pessoas, olhando o céu e vendo ALGO que lá em cima nunca foi visto , aproximando-se da Terra (“estar onde não deve estar”, Marcos 13-14) e o mundo inteiro olhando a misteriosa luz, sob intenso “abalo paranóico” “turbinado” pela nossa Mídia alarmista. Quanto aos termos “Abominação da Desolação”, usado por Daniel,  podemos imaginar por trás dessas palavras o estado desolador e abominável que sacudirá os povos, imaginando o pior… Porém, sabemos hoje, que  “o terror que vem do Espaço” (descrito nas centúrias  de Nostradamus – profeta francês 1503-1566), não cairá sobre a Terra, mas após um número desconhecido de órbitas – NUM PERÍODO DE 1.260 DIAS,  O FATÍDICO TRÊS ANOS E MEIO –  voltará novamente para o Espaço profundo, guiado sabiamente pela chamada Engenharia Sideral, cumprindo seu papel histórico, pois já passou outras vezes por aqui, sempre que se vence um ciclo de evolução da Terra e da humanidade, as quais devem ser recicladas. Obs. – No próximo e último artigo desta série, falaremos sobre o pós-três anos e meio.

            Alonso Valdi Regis

            Morro do Chapéu (BA)  15.Jul.2018

            alonsovregis@gmail.com

Deixe uma resposta