Agências bancárias são explodidas por bandidos em Ipirá!

A população de Ipirá, cidade localizada a 202 quilômetros de Salvador, acordou na madrugada desta sexta-feira (4) com fortes explosões e rajadas de tiros. Cerca de 25 bandidos fortemente armados colocaram fogo em um veículo em frente a sede da 98ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) e, em seguida, explodiram as agências dos bancos Bradesco e do Brasil.

Moradores relatam que depois de explodir o Bradesco, os criminosos fizeram passageirosde um ônibus que leva pacientes para tratamento de saúde em Salvador como reféns. Eles retiraram as mulheres do veículo e levaram os homens no veículo para a frente do Banco do Brasil.

De acordo com moradores, era por volta das 1h30 quando homens armados  fizeram os primeiros disparos na entrada da cidade.O microempresário Lidenor Araújo, 30, que mora a pouco metros da entrada da cidade, conta que acordou com o barulho de três rajadas de tiro.

“Eu não sabia o que estava acontecendo e acordei assustado com os tiros. Logo em seguida, após os primeiros disparos, uns 10 minutos depois, escutei a primeira explosão. O barulho veio da direção do centro da cidade. 15 minutos depois aconteceu a segunda explosão”, conta Lidenor.

Os bancos ficam distante cerca de 2 km da entrada principal. Moradores contaram ainda que, antes das explosões, o grupo de criminosos se dividiu. Uns continuaram na entrada principal, dando reforço, enquanto um outro seguiu em direção à delegacia da cidade – onde queimaram um veículo. O grupo responsável pelas explosões, a caminho das agências bancárias, fizeram moradores reféns.

“No caminho tinha alguns moradores que estava aguardando um ônibus que sairia para Salvador. Os bandidos renderam eles, liberando as mulheres e continuando com os homens”, conta um outro morador que preferiu não se identificar.

Ainda segundo ele, os reféns foram obrigados a assistir toda a ação e só foram liberados cerca de 6 km depois da cidade, em um povoado conhecido como Pau-Ferro, às margens da BR-101 (Estrada do Feijão), sentido Salvador.

A Polícia Militar, em nota, informou que após o assalto precisou intensificar o policiamento na região. “Os assaltantes atearam fogo nos veículos e efetuaram disparos de arma de fogo nas mediações da sede da 98ª CIPM e da delegacia local, mas não há registro de feridos. Nas proximidades das agências bancárias, os indivíduos bloquearam a via com um ônibus da secretaria de saúde do município, liberando as mulheres. Os homens foram levados como reféns, mas posteriormente liberados nas proximidades do Povoado de Pau Ferro, em Ipirá”, afirmou a PM, em nota.

O delegado titular de Ipirá Caryl Oliveira declarou, por telefone, que o clima está tenso na cidade, e destacou que “não teve ninguém ferido, graças a Deus”. “Estamos em investigação e não podemos falar mais nada neste momento”, acrescentou.

Participam da ação em reforço guarnições da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe)/  Semiárido e Chapada, da Companhia Independente de Policiamento Tático (CIPT)/ Rondesp Chapada, do Grupamento Aéreo (Graer) e da 98ª CIPM. Todas as unidades estão realizando rondas, buscas e abordagens a procura de suspeitos na região.

Com essas duas novas agências atingidas, este ano, esse é o 28º ataque a instituições bancárias na Bahia. Em outras cidades, o fluxo de reabertura de agências é bastante lento. O CORREIO procurou moradores das 19 cidades onde as outras 25 agências ou caixas eletrônicos foram explodidos por bandidos. Entre 17 casos, 11 agências não voltaram a funcionar e dez reabriram. Outras quatro instituições não foram localizadas.  (CORREIO)

Deixe um comentário