Posto de Vigília 159: Um Caso Grave de Censura. Por Alonso Valdi Regis!

UM CASO GRAVE DE CENSURA – Não vou citar nomes, por respeito à ética, mas o caso é absolutamente real, estou com documentos e conheço personagens dessa história. Seguinte: houve neste mês corrente (abril), no sul do país, um congresso internacional de UFOLOGIA, como sempre acontece. Um dos participantes do evento, um renomado Professor que trabalhou com projetos reservados do governo americano e vinha apresentar no Congresso um tema denominado EXOPOLÍTICA, que trata de uma nova ciência relativa a relações entre raças espaciais que, segundo se informa, já estão em andamento no nosso planeta. Inesperadamente, esse Professor recebe uma carta, vinda de autoridades, que o informa estar impedido de fazer a apresentação. Muito chateado, mas já sabendo do que se tratava, logo contratou um tradutor de inglês, meu conhecido e amigo e lhe entregou uma monografia do assunto “proibido”, pedindo-lhe para traduzir e editá-lo em algum veículo de mídia aberta, o que foi feito imediatamente.  E de que tema se trata? Primeiro: de encontros não-oficiais do governo americano com representantes de uma raça extraterrestre, interessados em colher elementos genéticos de nossa raça, para resolver problemas também genéticos que enfrentam lá no seu mundo de origem. Esse intercâmbio, já divulgado “inoficialmente” nos meios ufológicos, mas agora sendo chancelado por uma autoridade de peso como é esse senhor. Esse “tratado exopolítico” tem por objeto estabelecer normas de segurança a fim de não importarmos tecnologias estranhas ao nosso planeta, como já teria acontecido com aparelhagens advindas desse intercâmbio e que trouxessem problemas desconhecidos e inesperados à vida e à Ecologia de um modo geral.  2) A segunda parte da monografia “proibida”, trata do ainda envolto em mistério e censura, que é o dos ANUNNAKIS. Resumindo, aqui, esse assunto, se trata de um povo extraterrestre que aqui chegou há uns 400 mil anos e aqui viveu por muitos milênios, tendo sua história se conectado com as antigas civilizações da Suméria e Babilônia e daí, se interligando com os primórdios da civilização hebréia, onde se desenrolou a maioria dos fatos narrados no gênese bíblico, como a questão da origem da raça adâmica, o dilúvio, a torre de Babel, a história dos patriarcas e, inesperadamente, dos gigantes mencionados no velho Testamento e cuja origem sequer é mencionada em nossa cultura. Esse assunto “explosivo” nasceu de registros arqueológicos desenterrados no sul de Bagdá (Iraque), entre os séculos 18 e 19 – os famosos caracteres cuneiformes – os quais, sendo traduzidos acarretaram uma duríssima censura, pois contém elementos que dão por terra a maioria de nossas teorias científicas e religiosas a respeito do nosso obscuro passado.  Esse material já está disponível através de sites especializados para quem deles se interessar (Obs. O nome Anunnaki aparece na Bíblia, sob forma “transliterada” como Anaque, Enaque, Enac etc.. e em várias citações como Num.13-33, Josué e outros…)

Alonso Valdi Regis

Morro do Chapéu (BA) 30.Abril.2018

alonsovregis@gmail.com

Deixe um comentário