Bandidos explodem caixas eletrônicos e queimam carros em Simões Filho!

Uma agência do Banco do Brasil foi atacada por criminosos durante a madrugada desta terça-feira (1º), em Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador. O fato aconteceu por volta de 2h40. Segundo testemunhas, os bandidos fizeram barreiras para atacar a agência. Por volta das 9h, uma equipe do Batalhão de Operações Policiais Especiais da Polícia Militar chegou à agência. Os militares encontraram pelo menos três explosivos não detonados que foram deixados pelos bandidos dentro da instituição bancária.

Dois carros e um caminhão foram queimados na área industrial da Estrada Cia/Aeroporto durante a madrugada desta terça – a estrada é um dos pontos de acesso para o banco. Um dos veículos incendiado é um carro modelo VW Fox, outro é uma caminhonete, de modelo não identificado.

Os automóveis foram completamente destruídos. Na pista, foram espalhados ‘miguelitos’ – estrutura metálica utilizada para furar pneus. O comerciante Ilderson Cruz dos Santos, 27 anos, que estava fazendo uma entrega de bananas na região, precisou parar depois que teve o pneu lascado pelo miguelito. “O miguelito saiu rasgando foi tudo. Vou ter um prejuízo de uns R$ 600 e vou ficar mais de duas horas na estrada”, afirmou.

De acordo com Polícia Civil, um dos autores foi visto usando um macacão vermelho – as imagens do circuito de segurança do banco registraram a ação. Não se sabe, no entanto, quantos bandidos participaram do crime. Além disso, mesmo com a explosão, nenhuma quantia em dinheiro foi levada do banco.

Equipes do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), da Coordenação de Operações Especiais (COE) da Polícia Civil, e da Polícia Militar também estão no local.

Tráfico de explosivos

Somente este ano, com o de hoje, já foram registrados 26 ataques a agências e caixas eletrônicos na Bahia, de acordo com o Sindicato dos Bancários. Explosivos foram usados em 17 destas ações criminosas.

Na avaliação do presidente do sindicato, Augusto Vasconcelos, o tráfico de explosivos tem sido realizado por quadrilhas cada vez mais especializadas – o que revela a organização do crime.

Ontem, uma lancha com mais de 70 kg de expolosivo foi apreendida pela Polícia Federal, em Salvador. O material explosivo seria usado, segundo a PF, em ataques a instituições bancárias.

Por isso, a entidade tem realizado reuniões com os órgãos de segurança e com os diferentes comandos das polícias, com o objetivo de cobrar mais investimento do governo e dos bancos.

Na semana passada, representantes do sindicato estiveram com o secretário estadual da Segurança Pública, Maurício Barbosa. “Temos feito reuniões com todos os órgãos e é bom mencionar que há uma necessidade de conjugação de esforços de todas as polícias – Federal, Rodoviária, Civil, Militar – também com os bancos, que podem ajudar na elucidação dos crimes”, disse Vasconcelos.

A proposta da entidade é que todas as agências bancárias do estado tenham câmeras interligadas em tempo real com o centro de monitoramento da SSP. As câmeras, que já são obrigatórias na parte interna, deveriam ser instaladas também na fachada e no entorno.

Vasconcelos acredita que isso ajudaria a elucidar crimes. “A secretaria acha correto, mas o secretário tem dito que já procurou diversas vezes os bancos, mas que algumas instituições têm criado embaraços para fornecer esse tipo de informação”.(Correio)

 

Deixe uma resposta