Expedição Nissan se despede de M. do Chapéu!

Desde o último sábado, 21 de abril, um comboio com 15 picapes Nissan Frontier  visitaram alguns sítios arqueológicos da Chapada Diamantina. Após percorrer Minas Gerais, Piauí e Mato Grosso, a “Expedição Nissan: À procura do início do Brasil” veio para o interior da Bahia com jornalistas, pesquisadores e convidados, em busca das origens do país por meio da arte rupestre passando por locais que guardam registros da presença de nossos ancestrais há milhares de anos.

Morro do Chapéu

Com muitos sítios arqueológicos, a cidade de Morro do Chapéu, na Chapada Norte, foi um dos municípios envolvidos no Programa de Pesquisa e Manejo de Sítios de Arte Rupestre “Circuitos Arqueológicos da Chapada Diamantina”, uma parceria do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) com a Universidade Federal da Bahia (UFBA). Com território diferenciado e único, Morro do Chapéu apresenta um verdadeiro mosaico de pinturas, com formas geométricas e abstratas.

Os Complexos Arqueológicos de Morro do Chapéu visitados pela Expedição foram: Ventura – onde ficam a Toca da Figura e a Toca do Pepino – e Lagoa da Velha.

A Nissan deseja contribuir com a cultura e a pesquisa científica nacional, ao divulgar o rico acervo de pinturas rupestres do Brasil, que muitas vezes é mais conhecido e admirado por estrangeiros do que pelos brasileiros. Em 2014, a Nissan inaugurou seu Complexo Industrial brasileiro, em Resende (RJ) e, desde então, se integra cada vez mais a sociedade e apoia o desenvolvimento social e cultural do país. A empresa japonesa acredita que existem pontos importantes da história do Brasil, e o trabalho de muitos brasileiros, que são pouco conhecidos da população. Por isso, decidiu iniciar expedições temáticas para levar convidados e jornalistas para ver de perto toda a riqueza da história do país e ajudar a divulgá-la, apoiando a cultura.

Deixe uma resposta