Posto de Vigília 158: Farmácia divina. Por alonso Valdi Regis!

A  FARMÁCIA  DIVINA  –  Esse titulo só foi possível vir a lume após muita leitura, muita consulta em várias fontes, até que o tema fosse confirmado pela ciência metafísica, pesquisada num Departamento da Universidade de Princeton, em Nova Jersey, EUA. Muito resumido aqui, por falta de espaço, peço aos leitores, buscarem mais informações no famoso livro MEDICINA VIBRACIONAL, do Dr. Richard Gerber, que elevou a medicina do campo físico para seu patamar metafísico. O grande objetivo da medicina é a saúde do corpo físico. Então vamos conhecer um pouco desse nosso corpo. Chamado também de “máquina divina”, nosso corpo é constituído de muitos órgãos funcionais, cada um “energizado” por uma freqüência “x”, assim como nosso coração opera, também, com um marca-passo, pequeno aparelho que emite pulsos eletromagnéticos na mesma cadência vibratória cardíaca. Sabemos que cada um dos nossos diversos órgãos têm suas funções reguladas por pulsos recebidos dos diversos “chakras” que são “redutores” da alta freqüência externa, para as freqüências individuais de cada órgão e suas funções. Se essa fonte energética, chamada Corpo Vital, se extinguir, o corpo falece, vindo a desintegração molecular que o reduz a pó. Bem! Compreendido esse primeiro lance, passemos ao segundo: Quis a “Biologia sideral” que nossos corpos dispusessem de uma fonte natural dessas energias, a fim de reforçar e melhorar nossa saúde, em caso de depauperação e enfraquecimento das forças vitais que vitalizam nossos órgãos e assim criou as PLANTAS, na infinita diversidade da FLORA terrestre, cada espécie funcionando como um FILTRO maravilhoso que, recebendo as energias múltiplas do Sol, seleciona a exata freqüência que corresponde à freqüência com a qual trabalha cada órgão e eis aí o milagre: cada planta fornece o “quantum” necessário para repor e normalizar o funcionamento dos órgãos doentes. O segredo desse filtro está no seguinte dispositivo: cada espécie de planta (e também coisas como pedras, lama, líquidos etc.), traz na sua  estrutura íntima, a nível atômico e molecular, “grades” magnéticas que filtram todas as demais freqüências vibracionais e retêm aquela freqüência que determina o valor curativo da planta, o qual vai curar o órgão cuja freqüência se lhe associa, originando a antiga e poderosa ciência da Fitoterapia. Esse fato é hoje confirmado pela “Nova Gnose” de Princeton (ver livro acima, o que também é fundamentado no Gênese bíblico (Gen. Cap.1 Vs.29), onde se lê: “Deus criou as plantas, o fruto para alimentar e as folhas para curar” (Entender a planta pelos seus dois fatores de manutenção do corpo – o alimento e o remédio, fato corroborado pela expressão corrente: “Seja o teu alimento, o seu medicamento”).

(Obs.- No livro citado acima, o Dr. Gerber mostra como um “chá da pedra ametista, na sua freqüência violeta, serve para retificar nossa glândula pineal, cuja freqüência corresponde a esse padrão energético. E assim não só as folhas, mas também  cascas, raízes, flores e  frutos das plantas etc.)

Alonso Valdi Regis

Morro do Chapéu (BA) 26.Março.2018

alonsovregis@gmail.com

Deixe um comentário